Apartir de hoje vou apresentar uma serie de  reportagens sobre os brasileiros que decidem ir para o exterior em busca de uma vida melhor e lá são maltratados e sofrem o enorme preconceito,acompanhem agora o primeiro capitulo desta serie.

Embora haja duvidas sobre a versão da advogada Paula Oliveira,supostamente atacada por três neonazistas na Suiça a alguns meses atras,brasileiros residentes na Europa afirmam que o preconceito contra eles é quase diario.  Mais comuns casos dos deportados nos aeroportos da Espanha não necessariamente são os mais frustantes para quem cruxa o atlântico.

No caso mais grave encontrado pela reportagem foi de um brasileiro com cidadania Italiana que foi acusado por uma homicidio que não comenteu,durante uma estada de cindo dias no sul da Suíça. “Foi a pior  Experiência da minha vida,tenho dificuldades até hoje de lembrar deste dia”, relata Casagrande que preferiu não ter o nome completo divulgado.

Segundo o imigrante,que mora há 20 anos na Europa e há 6 estabeleceu residência na França,a policia o acusou porque ele não era da região em que tal crime havia sido praticado.

Casagrande estava de passagem por Lugano, na Suiça,onde pensava em morar depois de não aguentarmais o preconceito que sentia ha 10 anos na Italia,apensar se ter cidadania do pais.

O último relatorio do Conselho dos Direitos da Organização das Naçoes Unidas (ONU) sobre a Suiça,de 2007,denuncia “um dinamismo xenófobo e racista” no país.

Na época, o observador da organização,Doudou Diéne,havia ficado espantado com o aumento exarcebado das preocupações ligadas á segurança,precisamente sobre o quanto os suíços relacionam os problemas de violência aos imigrantes estrangeiros. Casagrande ,que o hoje tem dois filhos com uma francesa e mora na cidade de Bar-sur-Aube,ele só foi libertado pelos policiais oito horas depois quando o verdadeiro assassino,suíço,confessou o crime.

No próximo episodio desta serie vocês vão acompanhar o drama das mulheres brasileiras que em busca de um sonho acabam sofrendo grande preconceito na Europa.